Testemunha sobre caso Kátia Vargas: parecia leão atrás da presa

A sessão de julgamento da médica Kátia Vargas voltou do recesso para almoço por volta das 14h30 com depoimento de mais uma testemunha de acusação. Trata-se de Denilson Silva Souza, que trabalha com eventos e no dia do fato estava saindo do hotel Othon Palace, no bairro da Ondina, em Salvador, local da morte dos jovens.

A testemunha confirmou que assistiu a uma perseguição “como se fosse um leão indo atrás de uma presa”. Denilson disse, ao ser questionado pela acusação, que Kátia emparelhou o carro ao lado da moto e depois bateu de vez, arremessando os dois irmãos contra o poste e o gradil do Ondina Apart.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *