População recorre a transporte alternativo

Os cidadãos soteropolitanos recorreram a transportes alternativos para circular pela cidade na manhã desta quarta-feira (23). Com os rodoviários em greve e não cumprindo a liminar da justiça trabalhista, que determinou que 50% da frota rodasse nos horários de pico, os cidadãos estão tendo que recorrer à vans, micro-ônibus da região metropolitana, aplicativos de transporte, moto-táxi e os “amarelhinhos”, micro-ônibus do Sistema Complementar de Transporte, que rodam na capital após interferência da prefeitura. Apesar de rodar na cidade e de aceitar os cartões do Salvador Card, os “amarelhinhos” não fazem integração com o metrô. O mototaxista Edvan Rocha, de 40 anos, afirmou que na Estação Lapa, onde circula o metrô, o movimento aumentou “pouco”. Questionado sobre se está cobrando mais caro por conta da greve, o mototaxista afirmou que a concorrência com aplicativos de tranporte impossibilita isso. “O preço é parecido, então não dá para aumentar tanto”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *