Lauda doente

Tricampeão mundial de Fórmula 1, o austríaco Niki Lauda teve de ser submetido a um transplante de pulmão emergencial nesta quinta-feira (2) por conta uma “grave doença”, segundo boletim médico do Hospital Geral de Viena, na Áustria, onde o ex-piloto está internado.

De acordo com as informações do hospital, o procedimento foi realizado com sucesso por Walter Klepetko, chefe do Departamento Clínico de Cirurgia Torácica, e Konrad Hötzenecker, mas sem detalhar o estado de saúde do paciente. A família de Lauda pediu privacidade e se reservou o direito de não dar entrevistas sobre o caso. Mas, segundo a agência austríaca de notícias APA, a situação é “extremamente grave”.

Presidente de honra da equipe Mercedes, Lauda não compareceu às duas últimas etapas da Fórmula 1 antes das férias de verão, na Alemanha e Hungria. Ele foi visto circulando no paddock pela última vez no fim de semana em Silverstone, na Inglaterra, no início de julho.

Segundo a imprensa local, a situação de Lauda se complicou por conta de uma gripe que ele teria contraído em viagem a Ibiza, no litoral da Espanha, e ele estaria internado desde o dia 20 de julho, em Viena.

Niki Lauda tem um extenso histórico médico, marcado pelo acidente que se fundiu a sua carreira, no GP da Alemanha de 1976, em Nurburgring, quando a Ferrari que pilotava pegou fogo após uma batida, sofrendo intoxicação por fumaça tóxica e queimaduras profundas pelo corpo.

O tricampeão de F-1 também já passou por dois transplantes de rim: em 1997 e 2015. O último deles contou com a doação do órgão da então namorada, Birgit.

Em 13 temporadas na principal categoria do automobilismo mundial, Lauda disputou 171 Grandes Prêmios, com 25 vitórias, 24 poles positions e 54 pódios, faturando três títulos (1975, 1977 e 1984).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *