“Justiça”

Marilene Santana das Neves, a mulher que foi autuada em flagrante após matar o filho recém-nascido no banheiro de uma clínica em Camaçari, no início do mês, responderá ao processo em liberdade. A audiência de custódia ocorreu na última quinta-feira (8). No caso, Marilene, de 22 anos, estava escondendo a gravidez da família e, ao dar a luz ao filho no banheiro de uma clínica, tentou afogar o bebê na água do vaso sanitário. Ao não conseguir afogar a criança, a mãe esganou o recém-nascido e depois bateu na criança. O corpo do pequeno foi encontrado com diversos hematomas visíveis na região do tórax e no abdômen. Para ocultar o cadáver, Marilene escondeu o bebê em um saco preto, jogou no lixo e fugiu. A criança foi encontrada ainda viva por funcionários da clínica, porém veio a óbito na primeira segunda-feira do mês (5). Marilene foi autuada em flagrante e foi custodiada em seguida no Hospital Sagrada Família, em Salvador, onde passou por uma curetagem após ferimentos causados por arrancar o cordão umbilical com as próprias mãos. A delegada Maria Tereza, da Delegacia de Homicídios de Camaçari, pediu prisão preventiva de Marilene por acreditar que o crime foi premeditado pela mulher. “Ela passou nove meses planejando matar o filho. Essa mulher é uma erva daninha e a prisão preventiva foi pedida pelo entendimento da investigação”, declarou. Ainda de acordo com a delegada, Marilene não sofre de qualquer problema psicológico e escondeu a gravidez por diversas vezes alegando que estava menstruada. Após a liberação hospitalar e da Justiça, a mulher foi para casa onde mora com o pai. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *